18 de junho de 2016

Vamos tentar entender as fãs do Biel




Todo mundo viu ou ouviu as últimas notícias do cantor Biel, que foi denunciado por assédio durante uma entrevista. De um cara que ficou se gabando porque ficou com mais de 300 mulheres numa semana (diz ele) eu não esperava muita coisa e nem posso dizer que fiquei surpresa. Mas se o Biel não fosse famoso esse caso não teria tido repercussão nenhuma, até por que ele não teria sido entrevistado. E é aí que vemos surgir esse fenômeno da internet chamado fãs-que-defendem-o-ídolo-mesmo-quando-o-cara-tá-errado-e-elas-são-mulheres-e-ele-foi-machista.

Queria eu poder subir num pedestal e dizer "NOSSAA essas meninas são muito burras e otárias, taca fogo" mas eu não posso, em primeiro lugar: isso não se configura nem um pouco com sororidade e em segundo lugar: eu já fui quase assim.

Mais ou menos em 2010 o Justin Bieber virou febre (a famosa Bieber Fever) e adivinhem? Eu fui contaminada. Eu era uma belieber e até certo ponto um pouco fanática. Eu fui no cinema assistir os filmes, eu chorei quando ele veio pro Brasil em 2011 e eu não fui no show. Eu não gostava que o chamassem de Justin Biba, eu sabia cantar todas as músicas, tinha comunidade no orkut, fã clube no twitter (que eu parei de tuitar faz tempo, mas só desativei de vez esse ano) e acho que uma das coisas mais bobas dessa fase é que tinha uma divisão entre as Beliebers com B maiúsculo e as posers. Tudo bem babaca, eu sei.

Mas até aí, tudo bem, vai. Dá pra suportar. O problema fica sério quando o cara começa a fazer várias bostas e as fãs ainda tem capacidade de achar argumento pra defender. Mas, por que, meu Deus, isso acontece?

Sempre tem o cara que é bem explorado pela mídia. Por que ele vende. Quando o Bieber veio para o Brasil pela primeira vez, todos os programas entrevistaram ele! Ficou exaustiva uma programação baseada em Justin Bieber (eu como belieber estava com a agenda bem ocupada) mas ainda assim, teve audiência. Na pré-adolescência/adolescência, e estou falando isso bem no achismo, mas confio no que digo: principalmente as garotas idealizam um tipo de cara. É como uma via de mão dupla, as meninas precisam de alguém pra idealizar: que esteja no padrão de beleza, que seja do meio artístico e algumas vezes tenha algumas atitudes fofas. Então, a mídia dá isso a elas, e as fãs alimentam a mídia e a mídia alimenta as fãs. Isso vai se interiorizando nas garotas como uma religião, e quando a própria mídia vem e diz: "Olha, seu ídolo fez merda e agora a gente vai explorar isso também" o que acontece? A defesa em massa do ídolo, mesmo que ele esteja completamente errado.

A minha ficha só caiu depois que eu consegui ir no show do Justin, em 2013. Depois de tanta expectativa, de ficar umas 13h na fila e me queimar no sol (surgiu uma manchinha perto do meu nariz naquele dia, e eu tenho até hoje) finalmente eu ia poder ver meu ídolo. Ver, eu até vi, mas pelo telão. E aí, na última música, a esperada, a FAMIGERADA BABY, tacam uma garrafa na cabeça do cara e ele vai embora. Ele foi embora. Ele não deu tchau. Só foi. Depois de ficar 13h na fila, ele foi embora e nem se despediu.

Na época, ainda tentei justificar a saída dele do palco sem nem um "Good bye São Paulo!". Mas quando ele foi preso, no começo do ano seguinte, eu já não procurei argumentos para defendê-lo.

A gente não pode falar nunca que esse cara não tem história pra contar

O tempo foi passando, eu fui amadurecendo, e a fase belieber passou, como todas as pessoas diziam que ia passar. É algo de que me orgulho? Não, mas não me arrependo. Não me arrependo por que naquele momento da minha vida realmente era algo importante pra mim, e fez parte do meu processo de amadurecimento. Talvez se eu não tivesse sido belieber eu não fosse a pessoa que sou hoje. (E eu gosto de ser quem sou hoje).

Então, fãs do Biel, eu entendo a forma como vocês pensam no momento. Mas a verdade precisa ser dita: o Biel não só fez merda, como foi machista e vocês, grande maioria, mulheres, deveriam se ofender com o feito dele. Talvez a percepção de que foi machista ainda não surja na cabeça de vocês e talvez vocês nunca venham a se importar com o fato de ter sido machista ou não. Mas podem escrever: a ficha de vocês vai cair, assim como a minha caiu. Vai ter aquela sensação de "eu não acredito que eu fiz isso", mas tudo bem, vocês superam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário