7 de abril de 2016

Conheça uma mulher: Frida Kahlo

Oi gente!!! ÚLTIMO POST DA SÉRIE Conheça uma Mulher, consegui chegar até o final da série postando tudo direitinho <3. E a última mulher é a Frida Kahlo, que na verdade não é nada desconhecida, mas eu não podia deixar de colocar a Frida nessa série.

Reprodução: animale.com.br

A dúvida existente em colocar a Frida nessa série era justamente por que, ultimamente sua influência como símbolo feminista ficou muito maior e algumas vezes as pessoas nem sabem o porquê. No fim minha dúvida acabou virando motivo para esse post existir ☺

A primeira vez que eu li sobre a Frida foi no primeiro ano do ensino médio, a professora de espanhol passou uma lição que era sobre interpretação de texto e o texto contava a história da Frida. Só pra deixar claro eu não manjo nada de espanhol mas o texto deu pra entender bem hehe. Eu fiquei impressionada (e um pouco agoniada também) por todas as dificuldades que a Frida passou em relação à doenças, acidentes e cirurgias. Foi uma verdadeira guerreira.

(Eu ia colocar aqui a foto do texto mas aparentemente é crime e eu prefiro não me arriscar [direitos autorais])

Magdalena Carmen Frida Kahlo Calderón nasceu no dia 6 de de julho de 1907, no México. Seu pai, Guillermo Kahlo, foi um fotógrafo famoso que algumas vezes se arriscou na pintura, mas Frida não começou a pintar cedo, só depois do acidente que viria a sofrer que mudou sua vida para sempre.


Foto de Guillermo Kahlo, Coro da capital metropolitana, Cidade do México.
Reprodução: http://www.mexicodesconocido.com.mx/guillermo-kahlo-y-la-fotografia-de-arquitectura.htm
l

Quando ela tinha seis anos, contraiu poliomelite e ficou vários dias de cama. A doença deixou nela sua primeira sequela: um dos pés atrofiado e uma perna mais fina que a outra. Em razão disso, recebeu o apelido de "Frida Pata de Palo" (em português: frida perna de pau), passou a usar calças e depois suas saias, que foram marca registrada da pintora.



Frida em foto de família usando roupas masculinas.
Reprodução: http://virgula.uol.com.br/diversao/cinco-fatos-que-explicam-por-que-frida-kahlo-e-febre/

Em 1925, aos 18 anos, Frida voltava para casa da escola Preparatória Nacional de medicina, onde estudava na primeira turma feminina. O bonde em que ela estava chocou-se contra um trem, o para-choque de um dos veículos atravessou seu corpo e ela teve uma hemorragia muito grave, além de várias fraturas. Esse acidente fez Frida ficar entre a vida e a morte diversas vezes, ao todo foram 32 as cirurgias necessárias e ela teve que usar coletes ortopédicos. Foi então que começou a pintar, principalmente autorretratar-se, no período de recuperação. Quando questionada por que pintava tanto sobre si, Frida respondeu: “Pinto a mim mesma porque sou sozinha e porque sou o assunto que conheço melhor”.


Reprodução: http://www.brasilpost.com.br/
Enquanto ainda se recuperava, em 1928 Frida conhece Diego Rivera ao se filiar ao Partido Comunista Mexicano. Ele incentivou sua carreira artística e no ano seguinte, no dia 21 de agosto de 1929, eles se casam, dando início a uma das mais conturbadas uniões no meio artístico.

KAHLO, Frida, Diego en mi pensamiento, 1943. Óleo sobre tela.
Disponível em <http://brasil.elpais.com/brasil/2015/09/25/cultura/1443187447_005421.html>


Apesar de ser extremamente apaixonada por Diego, fato que é perceptível no seu diário, que virou livro, Frida teve diversos casos extraconjugais, inclusive com mulheres, uma vez que era era bissexual. Os casos com mulheres Diego nunca se importou, só não 'aceitava' com homens. Ele também teve diversas relações fora do casamento, inclusive um caso com a irmã mais nova da sua esposa, com quem teve seis (SEIS) filhos. Esse fato causou um abalo muito grande em Frida, que sonhava em ser mãe mas nunca conseguiu levar uma gestação até o final, em razão do acidente que sofreu. Durante sua vida, ela passou por três abortos.

Eles se separaram algumas vezes e depois de anos se casaram novamente, mas moravam em casas separadas.

Sua primeira exposição individual foi em Nova York, no ano de 1939. Frida era considerada uma pintora surrealista, mas ela discordava, pois declarou: "Pensavam que eu era uma surrealista, mas eu não era. Nunca pintei sonhos. Pintava a minha própria realidade."



KAHLO, Frida. A Coluna Partida, 1944. Óleo sobre Tela.
Disponível em: <http://www.camarimpop.com/?_escaped_fragment_=FRIDA-KAHLO-POP/cmbz/560c04790cf25fa7fe1f13bb>

Começou a ficar mais conhecida nos anos 40, época em que também teve uma piora em sua saúde, e continuou pintando acamada. Teve de usar um colete de ferro e ficar na cadeira de rodas.

Em 1953, Frida consegue realizar uma exposição de suas obras na Cidade do México, que acabou sendo a última em vida. No mesmo ano teve uma perna amputada e seu estado de saúde deteriorou-se muito.

No dia 13 de julho de 1954, Frida acaba falecendo oficialmente por embolia pulmonar, mas seu último registro em seu diário deixa a possibilidade de que a causa de sua morte tenha sido suicídio. “Espero a partida com alegria...e espero nunca mais voltar...Frida.”

Conhecendo a história de Frida Kahlo nós percebemos que ela não era exatamente uma ativista feminista no sentido de ter sua vida dedicada à luta pelo direito das mulheres. Hoje, Frida virou febre e símbolo feminista por ter sido quem foi. A sua trajetória, sua vida totalmente inusitada e fora dos padrões, que só foi dessa forma por causa do acidente que sofreu, servem de inspiração para que também sejamos quem somos. Ela conseguiu transformar todas as suas dores e sofrimentos num estilo pessoal mas também em estilo de vida. Conseguiu ver beleza nisso tudo, e foi quem quis ser, e quis ser quem ela era: Frida Kahlo.


"Eu costumava pensar que era a pessoa mais estranha do mundo, mas então pensei, há muita gente no mundo, tem que existir alguém como eu, que se sinta bizarra e danificada da mesma forma que eu me sinto. Consigo imaginá-la, e imagino que ela também deve estar por aí, pensando em mim. Bom, eu espero que se você estiver por aí e ler isso, saiba que, sim, é verdade, eu estou aqui e sou tão estranha quanto você.”
Reprodução: http://www.nybg.org/


Para finalizar o post uma foto minha, há mais de um ano, no trote do carnaval do terceiro ano do ensino médio. Agora todo mundo já sabe 'do que' eu estava vestida ☺




E acabou a série Conheça uma Mulher.  As mulheres aqui postadas foram:

Leila Diniz

Olympe de Gouges

Lili Elbe

Maria da Penha

Rosa Parks

Marie Curie

Malala Yousafzai

Frida Kahlo

Espero sinceramente que vocês tenham gostado da série e que sintam que algo foi acrescentado à vocês. Obrigada à todos que acompanharam os posts até o fim. Logo volto com a programação 'normal'. Beijos! <3



Referências para o post: http://www.infoescola.com/biografias/frida-kahlo/
http://www.brasilpost.com.br/2014/07/26/frida-kahlo-exposicao_n_5622069.html
https://feminismisthenewblack.wordpress.com/2015/03/19/por-que-frida-kahlo/
http://virgula.uol.com.br/diversao/cinco-fatos-que-explicam-por-que-frida-kahlo-e-febre/
http://amenteemaravilhosa.com.br/frases-de-frida-kahlo/

Livro Movimento do aprender Língua Estrangeira Moderna: Espanhol, pg. 28, SESI-SP  editora, 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário