4 de outubro de 2015

Solidariedade Sem Fronteiras

Olá, é estranho dizer alguma saudação por que eu nunca começo nenhum texto assim, mas hoje eu vou tentar explicar um pouco melhor o projeto que está rolando na minha escola de arrecadação de itens de higiene pessoal para refugiados.

Recentemente esse assunto bombou na mídia depois que um navio com refugiados sírios naufragou e algumas fotos tocantes foram divulgadas. A foto do menino sírio virou um símbolo da crise migratória que está acontecendo na Síria.

Pra quem não sabe, a Síria enfrenta uma guerra civil desde 2011. O ambiente instável é o cenário perfeito para que grupos terroristas extremamente organizados, como o Estado Islâmico, se instalem no local. O EI é um grupo terrorista fundamentalista que se baseia em leituras distorcidas do alcorão. Atualmente, o EI já ocupa 50% do país e das 20 milhões de pessoas que moravam antes, 10 milhões já deixaram o país.

O primeiro destino dessas pessoas é a Europa, até por uma questão de rota. O problema nisso é que alguns países da Europa estão barrando refugiados, ato que eles justificam como "controle", mas o que geralmente existe por trás desse controle é xenofobia. Preconceito esse que se expressa desde palavras até chutes em refugiados segurando crianças

A circulação de moedas é livre. Mas a de pessoas não.

Muitos refugiados estão chegando ao Brasil, e não apenas da Síria, mas de outros países em que existem algum tipo de conflito, como Colômbia, Congo, Nigéria, entre outros. É importante ressaltar a diferença entre imigrante e refugiado: o imigrante sai de seu país em busca de melhores condições de vida, ao passo que o refugiado está fugindo de seu país em busca de um lugar seguro para viver.

Então, em parceria com o Instituto Adus, vamos arrecadar itens de higiene pessoal para refugiados. Não vamos angariar outros itens como roupas, por que não sabemos ao certo se as roupas seriam usadas, uma vez que estamos lidando com culturas diferentes.

Os itens são esses:


Fotos meramente ilustrativas. As doações podem ter qualquer marca.


As doações podem ser feitas direto no SESI Ipiranga, o endereço é: Rua Bom Pastor, 654, Ipiranga. Ou então quem souber de outra forma de ajuda ou algo do tipo pode falar comigo através das redes sociais, que estão ali embaixo do perfil.

Nosso objetivo com o trabalho, além de arrecadar os itens é desmistificar essas ideias de que os refugiados são terroristas ou de que eles estão vindo pra cá para roubar nossos empregos ou qualquer outra ideia absurda. 

Como seres humanos, devemos estender a mão para essas pessoas que estão chegando aqui apenas com seus sentimentos, dentre esses medo; saudade do que seu país já foi um dia e quem sabe, um pouco de esperança de uma vida melhor. Eles nem falam o nosso idioma. Qualquer contribuição fará a diferença na vida dessas pessoas que precisam de tanto. As dificuldades não acabam após a travessia de fronteiras. Mas nós podemos ajudar a melhorar isso.

A ajuda começa com você.



Ajude a espalhar o projeto, compartilhe nas redes sociais!

4 comentários:

  1. Adorei a ideia do projeto, é uma causa muito bonita!! É muito triste ver tanta gente sofrendo e tanta gente sem se importar em tentar mudar isso, não é?
    ótimo post!

    bjs
    blogtrashrock.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. simm! E ás vezes a gente reclama tanto e não faz nada pra mudar, né? mto obrigada!

      bjo <3

      Excluir
  2. Incrível essa iniciativa <3 Espero que o pessoal doe bastante :)
    boa semana ^^

    Red Behavior

    ResponderExcluir